LAS VISTILLAS – MADRID, ESPANHA

Queria conhecer Las Vistillas e saber se o nome tinha algo que ver com uma vista privilegiada para uma parte de Madrid que hoje não conseguimos ver bem desde o Viaduto de Segóvia porque está vedado (demasiadas mortes por suicidio), na realidade teve no tempo em que o jardim foi criado mas entre todo o arvoredo consegui ver apenas uma parte da Catedral de Almudena. Ainda assim tem detalhes interessantes e é um lugar sossegado onde se pode fugir do reboliço da cidade para ler um livro ou namorar como por ali vi.

I wanted to see Las Vistillas and whether the name had something to do with a privileged view of a part of Madrid that today we can not see well from the Viaduct Segovia because it is forbidden (too many deaths from suicide) actually had at the time the garden was created but among all the trees you could see only part of the Almudena Cathedral. Still has interesting details and is a quiet place where you can escape the city hustle to read a book or dating as seen through there.

Uma das zonas principais destes pequenos jardins é o Monumento a Ramón Gómez de la Serna, um escritor e jornalista madrilenho que nasceu no final do século XIX. Localizado numa praça dedicada a outro escritor, Gabriel Miró e está composto por uma fonte, á sua volta várias cadeiras permitem aproveitar o bom tempo e apreciar a vista para Catedral. Na outra ponta está uma estátua de La Violetera, depois de muito pesquisar na internet ao parecer este monumento a uma profissão que já não existe de mulheres que vendiam violetas perto da Calle de Alcalá tornou-se algo polémico. Surgiram suspeitas de que a musa para que Santiago de Santiago criara a escultura era uma figura com associações a um determinado partido político, por isso veio parar aqui que de alguma forma desilude porque leva-nos a acreditar e a imaginar como seriam estas vendedores pelo parque.

One of the main areas of these small gardens is the Monument to Ramón Gómez de la Serna, a writer and Madrid-based journalist who was born in the late nineteenth century. Located in a square dedicated to another writer, Gabriel Miró and is composed of a source, several chairs around you let you enjoy the good weather and the view of Cathedral. At the other end is a statue of La Violetera, after much searching on the internet to look this monument to a profession that no longer exists of women selling violets near the Calle de Alcalá became something controversial. Arose suspicions that the muse to Santiago de Santiago created the sculpture was a figure with associations to a particular political party, so get here that somehow disappoints because it leads us to believe and imagine how would these vendors at park.

Morada: Plaza Gabriel Miró
Metro: La Latina

Our Guide of:
http://hojeconhecemos.blogspot.com.es/p/madrid.html
Anúncios

BURGGARTEN – VIENA, ÁUSTRIA

De passagem para o centro da cidade encontrámos o Burggarten, o jardim que está junto ao Palácio de Hofburg construído no século XIX pelos Habsburgo era nessa altura conhecido como o Jardim do Imperador (Kaisergarten), o seu uso era privado e exclusivo para a familia real até que em 1919 foi aberto ao público.

Passing through to the city center we found the Burggarten, the garden that is by the Hofburg Palace built in the nineteenth century by the Habsburg family was then known as the Emperor’s Garden (Kaisergarten), its use was private and exclusive to the royal family until in 1919 it was open to the public.

Duas estátuas fazem com que a visita a este parque seja obrigatória, a primeira dedicada a Mozart que se vê rodeado de canteiros de flores em forma de notas musicais e a segunda do Imperador Francisco José I que utilizava este jardim. O que mais aproveitámos deste parque foi a estufa das palmeiras – a Palmenhaus – uma construção de estilo Art Noveau e onde aproveitámos para tomar uma cerveja antes de ir jantar. É um café restaurante agradável com bastante luz.
Two statues make the visit to this park mandatory, the first dedicated to Mozart that is seen surrounded by flower beds in the shape of musical notes and the second of Emperor Franz Joseph who used this gardenBut what we enjoyed the most was the palm trees greenhouse the Palmenhaus a stylish Art Nouveau building and where we took the opportunity to have a beer before going to dinner. It’s a nice cafe restaurant with plenty of light.


Our guide of
http://hojeconhecemos.blogspot.com.es/2001/12/guia-de-viena.html

Parque María Luisa – Sevilha, Espanha

Perto da famosa Plaza de Espanha está o parque María Luisa, parte dos jardins do Palácio de San Telmo que os duques de Montpensier ofereceram á cidade e daí a dedicatória á Infanta María Luisa, filha do rei D. Fernando e María Cristina. Construído no final do século XIX é o maior parque de Sevilha que para além das suas zonas verdes tem vários lagos, fontes, estátuas e trabalhos de cerâmica que fazem valer a pena explorar cada recanto de esta cidade.

Close to the famous Plaza of Spain is the Maria Luisa Park, part of the gardens of the Palacio de San Telmo the Dukes of Montpensier offered to the city and hence the dedication will Infanta María Luisa, daughter of King Ferdinand and Maria Cristina. Built in the late nineteenth century is the largest park in Seville that in addition to its green areas has several lakes, fountains, statues and pottery works that make it worthwhile to explore every corner of this city.

 

Não conseguimos ver tudo, vimos o essencial. Entrámos pela Glorieta de Gabriela Ortega Gómez e ali perto encontrámos o monumento dedicado á Infanta María Luisa, um lugar calmo e discreto com uma pequena fonte e nada mais mas com alguns dos recantos mais românticos do parque. Foi inaugurado em 1914 e com a Exposição Universal de 1929 foi remodelado ganhando novos pavilhões, zonas de lazer juntamente com as Plazas de España e de América. Foi um passeio agradável mas não conseguimos ver tudo o que nos fez pensar que talvez numa próxima oportunidade podíamos alugar um dos carrinhos a pedais para aproveitar melhor o parque.
 
We could not see everything, we saw the essential. We entered by the Glorieta de Gabriela Ortega Gómez and nearby we found the monument dedicated to the Infanta María Luisa, a quiet and discreet place with a small fountain and nothing else but with some of the most romantic corners of the park. It opened in 1914 and for the Universal Exhibition of 1929 was remodeled gaining new pavilions, recreational areas along with the Plazas de España and America. It was a nice walk but we can not see anything that made us think that maybe at the next opportunity we could rent a spedal stroller to better enjoy the park.

 

 

 

 

 

 

Vista para a Plaza de España

 

 

Pabellón Alfonso XII

 

Fuente de las Ranas

 

Fuente de las Ranas

 

 

Fonte dos Leões

 

 

 

Gloriets de Dante

 

Glorieta de los hermanos Alvárez Quintero

 

 

 

 

+ Guia de Sevilha

 

Georgian Garden – Bath, Inglaterra

22231678046_2ee8b11823_h

Tenho uma imensa curiosidade em conhecer uma casa de Bath por dentro, em especial as do The Circus ou do Royal Crescent. Enquanto caminhávamos pela Royal Avenue justamente nas traseiras das casas de The Circus, uma seta indicava a direção de um jardim da época Georgiana, não era um interior de uma casa mas já era algo. Parecia uma daquelas grandes descobertas, um lugar secreto que não estava a ser explorado por mais ninguém, era o jardim do Nº4 que foi remodelado em 1985.

I have an immense curiosity to know a Bath house on the inside, especially at The Circus and the Royal Crescent. As we walked by the Royal Avenue just to the rear of the house of The Circus, an arrow indicating the direction of a garden of the Georgian era, it was not the inside of a house but it was a start. Looked like one of those great discoveries, a secret place that was not being exploited by anyone else, it was the garden of # 4 that was refurbished in 1985.

Continue reading “Georgian Garden – Bath, Inglaterra”

QUEEN’S SQUARE – BATH, INGLATERRA

Bath é Património Mundial da Humanidade como um todo, não é só pelo Circus, pelo Royal Crescent ou pelas Termas Romanas mas toda a cidade. A juntar á lista está esta praça, Queen’s Square, discreta mas com vários detalhes com história e se não fosse pelos carros passam por ali perto ou pelas pessoas com calças de ganga seria uma foto perfeita e intacta de uma época dourada entre o século XVII e XVIII.

Bath is a World Heritage site as a whole, is not only the Circus, the Royal Crescent or the Roman Baths but the whole city. Adding to the list is this square, Queen’s Square, discreet but with several details with history and if it wasn’t for the cars passing by or by people with blue jeans it would be a perfect and intact picture of a Golden Age of the seventeenth century, XVIII.

Elegantes edificios contornam a praça e o jardim que está ao centro, nele podemos encontrar um obelisco dedicado a Frederick, Principe de Gales e herdeiro ao trono, pai de George III, não chegou a romper a sequência Georgiana porque morreu antes do pai. A dedicatória veio de Richard Nash (mais conhecido na época como Beau Nash), um famoso mestre de cerimónias em Bath a principios do século XVIII. Dizem que foi nesta praça que viveu Jane Austen e os edificios na parte Norte que têm esse toque palaciano foram desenhados por John Wood the Elder, o mesmo que criou a zona de Circus.

Elegant buildings skirt the square and the garden that is in the center, in it we can find an obelisk dedicated to Frederick, Prince of Wales and heir to the throne, the father of George III, who did not break the Georgian sequence because he died before his father. The dedication came from Richard Nash (better known at the time as Beau Nash), a famous master of ceremonies in Bath of the beginning of the eighteenth-century. They say it was in this square that Jane Austen lived and the buildings on the north side that have a paladian touch were designed by John Wood the Elder, the same that created the Circus.
Our guide of:
http://hojeconhecemos.blogspot.com/2001/10/guia-de-bath.html

Jardim do Túria – Valência, Espanha

O maior parque de Espanha foi construído nas terras onde antes passava o Rio Turia que foi desviado depois das grandes inundações de 1957.  São quase nove quilómetros de jardins, pontes, lagos, parques infantis entre outras actividades, é o plano ideal para um passeio em familia.
Uma das suas principais atracções é a Cidade das Artes e das Ciências onde se destacam o Palácio das Artes da Rainha Sofia e o Museu das Ciências do Príncipe Felipe.
The biggest park in Spain was built on the land where once passed the Turia River  that was diverted after the great flood of 1957. There are almost nine kilometers of gardens, fountains, ponds, playgrounds and other activities, is the ideal plan for a family stroll. One of its main attractions is the City of Arts and Sciences which features the Queen Sofia Palace of the Arts and the Prince Felipe Museum of Science.

Continue reading “Jardim do Túria – Valência, Espanha”

Kensington Gardens – Londres, Inglaterra

20609054658_3e6fbb92e2_b
É um dos Royal Parks de London e fazia parte dos jardins privados do Palácio de Kensington, onde nasceu a Princesa Vitória e onde após a noticia da morte do seu tio se tornou Rainha. Colado ao Hyde Park é difícil perceber onde um termina e o outro começa, mas o melhor é que tem muito para ver e é o plano ideal para o fim de semana quando queres dar um passeio. São 111 hectares de verde, lagos, esculturas, esplanadas e jardins secretos.
It is one of the Royal Parks of London and was part of the private gardens of Kensington Palace, where Princess Victoria was born and where after the news of the death of his uncle became Queen. Glued to Hyde Park is hard to see where one ends and the other begins, but it is best with a lot to see and is the ideal plan for the weekend when you want to take a walk. Are 111 hectares of green, lakes, sculptures, terraces and secret gardens.

Continue reading “Kensington Gardens – Londres, Inglaterra”