Chelsea Market – Nova Iorque, EUA

Perto do Highline descobrimos o Chelsea Market cujo nome me soava mas que nem o tinha apontado na lista a visitar, ainda assim foi uma agradável surpresa e o lugar onde almoçámos num dos últimos dias da nossa estadia em Nova Iorque. Instalado no edificio da antiga fábrica da Nabisco (famosa pelas suas bolachas Oreo) mantém esse aspecto industrial dos século XIX ou principio do século XX. No seu interior encontramos de tudo um pouco, restaurantes com cozinhas de vários países, lojas de roupa e gourmet, etc..

Near the highline we discovered the Chelsea Market whose name sounded to me but it was not even on our list to visit, yet it was a pleasant surprise and the place where we had lunch on one of the last days of our stay in New York. Installed in the old Nabisco factory building (famous for its Oreo wafers) it maintains this industrial aspect of the nineteenth or early twentieth century. In its interior we find a bit of everything, restaurants with kitchens from various countries, clothing and gourmet stores, etc …

Continue reading “Chelsea Market – Nova Iorque, EUA”

Anúncios

O nosso guia de Nova Iorque

Antes de ir:

É relativamente simples e rápido, nós tratámos de tudo um mês antes. Após o preenchimento do ESTA tem que se pagar para ficar válido, depois só é necessário o número. No aeroporto em Newark não tive que mostrar o número mas em Lisboa sim.
Como ir para:
Manhattan desde Newark – nós apanhámos um comboio que custou 12usd por pessoa.
Jersey Gardens (Outlet) – desde Port Authority sai o autocarro 111, se o voo aterrou em Newark é uma excelente ideia porque está mesmo ao lado. Costuma sair de meia em meia hora e ao fim de semana enchem muito. Os bilhetes custam 6,5usd por pessoa e só ida (com a volta ficam 9usd). Uma vez no outlet há um shuttle que sai na porta principal do piso superior que leva até ao P4 do Aeroporto que custa 5usd por pessoa, uma vez aí tens que apanhar outro autocarro (grátis) para o terminal de onde sai o voo.
Quanto custa:
Metro – um bilhete de uma viagem custava 2,75usd
Roupa no Outlet – fomos ao Jersey Gardens e comprámos algumas coisas, na realidade fizémos stock de roupa para os miúdos, fica aqui alguns dos preços para referência:
Polos na Polo by Ralph Lauren – entre 10usd e 20usd
Levi’s 501 – 39usd por cada a partir de dois pares
Converse e adidas – 44usd
Malas Samsonite – as de tamanho médio podem custar entre 140-300usd dependendo do modelo, na loja da marca não as achámos muito baratas comprámos noutra loja. Vimos também umas Delsey de tamanho médio
Citibikes – um passe de 7 dias custa $25+tax (podes utilizar a bicicleta por trinta minutos) e no nosso caso utilizamos todos os dias, pelo menos uma vez para regressar ao apartamento durante a noite, foi uma excelente opção que nos permitiu ter mais mobilidade. Um passe de 24 horas custa $9,95 + tax e quando passas da meia-hora são $4. A cidade tem bastantes vias para bicicletas mas têm que se andar com muito cuidado os nova-iorquinos não são famosos pela sua paciência ao volante.
Ferry para Staten Island – é grátis!!! 😉
Que restaurantes e cafés que recomendamos:
Chelsea Market – se gostam de lagosta experimentar o Lobster place, o Chelsea Market é um conceito parecido ao dos mercados de S. Miguel e Campo de Ourique mas os espaços são na sua maioria num formato de loja fechada.
The Meatball Shop – há várias, a especialidade é almondegas e come-se muito bem. Recomendo também o sandwich de cookies e gelado.
Joe’s Shanghai – em Chinatown, muito autêntico e barato come-se bons dumplings (podes ter que partilhar mesa- romântico não é mas é muito bom).
Pure Thai – restaurante Tailandês na 9th avenue mais a norte (bom plano para de ver o Central park de manhã) é um sitio pequeno mas com boa comida tailandesa.
Burger Joint (fica no hotel Le Parker Meridien) – tem dos melhores hamburguers de NYC, enche  porque o sitio é pequeno.
Eileen’s Special Cheesecake – se gostam de doces este cheesecake é muito bom fica perto de Little Italy.
Eataly – fica ao lado do Flatiron é um mega mercado de produtos italianos e podes comer lá também massas ou pizzas, muito bom mas enche muito.
Katz Deli – as famosas sandes de Pastrami.
Doughnut Plant – café com donuts muito bons com cobertura e recheados.
Murray’s Bagels – bagels muito bons, são muito genuínos e não os torram.
Brooklyn bagels – também são muito bons.
Tavola – (9th Avenue) Um restaurante italiano com pizzas feitas por um napolitano em forno de lenha.
Que aplicações utilizámos:
NYC Trip Advisor – Não teríamos disfrutado de Nova Iorque sem a ajuda de esta aplicação, para mim tinha duas coisas essenciais: o mapa funciona offline e antes de ir de viagem marquei no mapa os sitios que quería visitar principalmente marquei muitos sitios para comer depois de muita pesquisa. Não liguei muito ás pontuações ou críticas construí a minha lista estudando e pesquisando vários blogs sobre a cidade.

NYC Citibike – A outra aplicação que utilizamos foi a da Citibike de Nova Iorque, como utilizámos o sistema de bicicletas instalado na cidade necessitávamos dela para saber onde poderíamos encontrar o próximo posto ou saber o mais próximo com mais bicicletas disponíveis. Só tem o problema o mapa não se carrega offline mas ainda assim podes ir vendo os postos clicando um a um.

Como escapar as filas de:

Empire State Building – Depois de ter estado no ESB posso afirmar com segurança que as filas são desesperantes e quando pensas que já passaste uma encontras outra. Vi no rosto de algumas pessoas a frustração e é uma pena porque retira entusiasmo a um dos ícones da cidade. A primeira opção é comprar a entrada antes, sempre se escapa a uma fila (que é de facto a maior) mas se realmente vais com pouco tempo e não podes esperar recomendo os bilhetes vip que custam $50 (+ $2 de gastos de gestão), com eles passas á frente de toda a gente.
Website: http://www.esbnyc.com/

Top of the Rock (Rockefeller Center) – Nós reservámos os bilhetes online e marcámos hora, se por acaso preferes ir antes podes tentar na recepção adiantar a entrada (nós conseguimos). Fomos perto das três da tarde e não tinha muita gente por isso recomendaria ou ao principio do dia ou a meio da tarde.
Website: http://www.topoftherocknyc.com/

Empire State Building ou o Top of The Rock – se só podes ir a um, o último porque tem menos filas, porque vês o Central Park e o próprio ESB.

Os guias que consultámos:

A Pie por Nueva Iorque (National Geographic) – consegui este guia comprando a revista Viajes da NG. Gosto muito de este formato, têm outro de fim de semana que também é interessante mas este foi o que utilizei de referência com os principais locais a visitar por bairros.

Lonely Planet – Tinha este guia em versão PDF que comprei no seu website. Gosto muito da secção de Plan onde te indicam as top 16 experiências na cidade.

Consultei vários blogs para encontrar recomendações de lugares.

Onde comprar bilhetes da Broadway:
…a bons preços!

Na Times Square está a TKTS (Website: Clique aqui), fomos á hora do almoço e não apanhámos filas, conseguimos comprar bilhetes para o Pippin a cerca de $87 (por cada numa lateral da orquestra) e tivémos sorte porque os lugares eram bons. O único senão é que vendiam só para a sessão da tarde ainda assim os preços que vimos eram mais caros por isso se queres ver um show da Broadway mas não queres pagar tanto por um bilhete o TKTS pode ser uma opção.

Onde dormimos:

Ficámos num apartamento relativamente modesto na West 29th Street que alugámos através do www.airbnb.com. O que escolhemos não foi própriamente o melhor, tivémos alguns problemas mas foi dos mais baratos que encontrámos e na realidade não passávamos ali muito tempo. A zona foi um acerto, ficava perto do High Line, tinha restaurantes e cafés á volta para além de um posto de bicicletas da Citibike. A voltar a Nova Iorque tentaria escolher um apartamento mais confortável.

 

Para mais informação consultar o nosso

Guia de Nova Iorque

Burger Joint – Nova Iorque, Espanha

14313643742_e70711ef68_b

A nossa viagem a NYC teve a nível gastronómico algumas surpresas quando escolhemos lugares que não estavam na lista mas o Burger Joint era um que sabíamos que tínhamos que ir, estava no nosso plano e todas as recomendações eram muito boas. É verdade que já não é aquele lugar secreto para locais e já te aparece nos guias o que pode de alguma forma pôr em perigo o conceito mas continua com a sua fórmula quase “clandestina” nas traseiras da recepção do hotel Le Parker Meridien, numa sala pequena, escura com as paredes rabiscadas e posters de filmes ou séries icónicas.

Our trip to NYC had a gastronomic level some surprises when we chose places that were not on our list but the Burger Joint was one we knew we had to go it was in our plan and all the recommendations were very good. It is true that it is no longer that secret place for locals and now appears in the guides that can somehow endanger the concept but continues with its formula almost “undergroundbehind the reception of the hotel Le Parker Meridien, a small room, dark with scribbled walls and posters of movies or iconic series.

Continue reading “Burger Joint – Nova Iorque, Espanha”

Doughnut Plant – Nova Iorque, EUA

Depois de alguns dias a comer bagels ao pequeno-almoço começava a fazer falta provar outra das iguarias que estava na nossa lista: os donuts. Numa tentativa de evitar que o marido fosse ao Dunkin’ Donut (apenas porque há cá em Madrid) pesquisei pelos melhores donuts em Nova Iorque e de preferência perto do nosso bairro até que chegámos ao Doughnut Plant, a pastelaria que se orgulha de ter criado o primeiro donut de crème brûlée.
After a few days of eating bagels for breakfast began to miss tasting other delicacies that were on our list: the donuts. In an attempt to prevent my husband of going to the Dunkin’ Donut (just because they exist in Madrid) searched by the best donuts in New York, preferably near our neighborhood until we reached the Doughnut Plant, the pastry is proud to have created the first crème brûlée donut.

Continue reading “Doughnut Plant – Nova Iorque, EUA”