Bar Astelena – San Sebastián, Espanha

Passeando pelas ruas do centro histórico de San Sebastián, procurávamos também os seus famosos bares de “pintxos” e tapas em jeito de degustação. A ideia era parar se víamos que tinha bom aspecto, comer um ou dois “pintxos”, beber umas claras com limão ou umas “cañas” e seguir caminho para o próximo bar. Já tínhamos feito um quando entramos na Plaza de la Constitución e vemos o Astelena.

Continue a ler “Bar Astelena – San Sebastián, Espanha”

do: PARQUE DE DOÑA CASILDA – BILBAO, ESPANHA

Este agradável parque começa na Gran Via e vai até Abandoibarra, o arquitecto Ricardo Bastida (o mesmo que criou o Alhóndiga em 1909) criou um jardim ao estilo romântico inglês e um refúgio perfeito para disfrutar de alguma paz e tranquilidade no centro da cidade.
Tem alguns divertimentos lúdicos muito vocacionados para crianças como um carrossel de estilo clássico ou o tradicional parque de baloiços.
Para os mais velhos há dois campos de basket e conta com um bom espaço de relvado onde todos podem aproveitar o bom tempo deitando-se ao sol ou simplesmente ler um livro.

 

This pleasant park begins at Gran Via and runs through Abandoibarra, architect Ricardo Bastida (the same that created the Alhóndiga in 1909) created a romantic English  style garden and a perfect getaway to enjoy some peace and quiet in the city center.
It has some very entertaining amusements geared towards children as a classic carousel or the traditional park  with swings.
For the eldest two basktball courts and a good lawn space where everyone can enjoy the good weather by lying in the sun or just read a book.

La Pérgola é um local que ainda hoje a cidade aproveita para fazer pequenos espectáculos culturais. Ao centro uma fonte anima o espaço.
La Pergola is a place that still used by the city to make small cultural performances. At the center a fountain enlivens the space.

 

Na zona do parque mais para o lado de Abandoibarra está uma outra fonte, mais pequena que presta homenagem á benfeitora do jardim, Doña Casilda Iturrizar. A mulher de um dos fundadores do Banco de Bilbao, um homem de sucesso e riqueza e a quem o parque lhe dedica o nome graças ao facto de ela ter doado os terrenos para a sua construção.
In the park area to the side of Abandoibarra there is another fountain, smaller and pays homage to the patron of the garden, Doña Casilda Iturrizar. The wife of one of the founders of the Bank of Bilbao, a man of wealth and success and to whom it was dedicated the park’s name and from the fact that she had donated the land for its construction.

 

Mais/More Posts:

Calle Diputación – Bilbao, Espanha

A Calle Diputación é uma perpendicular á Gran Via (que aliás a corta a o meio), uma zona onde estão alguns dos mais recomendados e tradicionais bares de pinchos da cidade. De um dos lados da rua está uma estátua em homenagem a John Adams, o segundo presidente dos Estados Unidos da América. Nela pode ver-se escrito: Bizkaia – Carta IV. Defesa da Constituição do Governo dos EUA (1787) em que se refere a “…esta gente extraordinária conseguiu preservar o seu idioma, o seu génio, leis, governo e costumes, sem mudanças, muito mais do que qualquer outra nação da Europa”.
The Calle Diputación is perpendicular to Gran Via (it actually cuts it in half), an area where you can find some of the most recommended and traditional pinchos bars of the city. On one side of the street there’s a statue in honor of John Adams, the second president of the United States. It can be seen written, Bizkaia – Letter IV. Defense of the Constitution of the U.S. Government (1787) which refers to “… this extraordinary people managed to preserve their language, their genius, laws, customs and government, without changes, more than any other nation in Europe.”

Continue a ler “Calle Diputación – Bilbao, Espanha”

GOIURIA, DURANGO, ESPANHA

De passagem por Bilbao a trabalho, tive a sorte de conhecer este restaurante em Iurreta, o Goiuria. Não sei muito como lá chegámos porque vínhamos de uma reunião, mas fomos subindo pela terra com o mesmo nome até que chegamos a esta casa típica de montanha.

Não estava muito cheio, já eram três da tarde e conseguimos mesa á janela. Simplesmente espectacular. Com uma vista priveligiada sobre Durango, o restaurante já estava a marcar pontos. O País Basco tem um excelente entorno natural, junto á estrada que fizémos podíamos ver vacas, ovelhas, etc.. Muito verde e azul, graças ao céu limpo que conseguimos apanhar.

 

Também a decoração era moderna e muito acolhedora, quem me levou dizia que nem sempre foi assim e que fizeram obras de certeza porque antes era mais antigo e tinha um ar mais típico.  

Íamos com um objectivo: comer o “chuletón” (costeletão). Pedimos um para três pessoas e veio numa chapa que em baixo trazia o carvão para mantê-lo quente. Fazia toda a diferena, desde o cheiro ao sabor…e que sabor! Estava simplesmente espectacular, talvez o melhor “chuletón” que já comi (até melhor do que o que provámos em Béjar

Para acompanhar umas batatas fritas bem fininhas e uma salada que fez-me lembrar as boas (e simples) saladas que comemos em Portugal, com a alface macia, o tomate maduro e um bom fio de azeite. Aliás, quem ia connosco, para além do “chuletón” trazia na memória a salada. 

Ainda tivémos a audácia de pedir “postre”, pedimos duas “tartas de queso” (cheesecake) e um outro que me esqueci do nome (creio que era San Jacob), cuja base é muito parecida ao bolo de aniversário. Foram muito generosos a cortar as fatias, demasiado até porque depois da carne já não havia muito espaço para mais.

Um excelente restaurante, daqueles que dá vontade de recomendar a toda a gente para lá ir porque a comida é boa e fomos sempre bem atendidos, pena que fique a 420km de Madrid.