ARENA DE NÎMES – FRANÇA

Uma coisa é certa, os habitantes da cidade de Nîmes souberam ao longo dos muitos anos de história e existência preservar alguns dos seus monumentos mais antigos, a Arena romana é mais um desses exemplos uma vez que é considerado o mais bem conservado do género, batendo até o Coliseu.

Com uma planta oval e uma capacidade para 24 mil espectadores na época dos romanos, só entrando podemos realmente ver a sua dimensão. Com 133 metros de profundidade, a sua arena foi palco dos espectáculos bárbaros que tanto agradavam aos súbitos do grande império Romano. Mais tarde, no século XIX foi remodelado para dar lugar a um outro tipo de espectáculo, as touradas.

Uma das curiosidades da sua construção são os corredores com o nome de “vomitórios”, eles permitiam a circulação dos espectadores sem que se misturassem os de classe baixa com os patrícios, a nobreza romana.

Tivémos sorte com o dia em que fomos, estavam a ensaiar para o grande espectáculo do “Grand Jeux Romaines”, uma reconstituição histórica dos momentos vividos na arena (sem sacrificar animais) com simulações de combates, desfiles e outras actividades ligadas á época mais dourada da arena.

No ensaio vimos romanos a competir com um outro povo demonstrando a sua perícia com o cavalo e lanças, vimos também um grupo de estrangeiros vestidos de época que presumo tenham sido convidados a ser extras dos espectáculo mas para estar no público porque treinavam os seus gritos de apoio.

A primeira vez que vimos a Arena foi na noite em que chegámos a Nîmes, é uma construção que se destaca também na ausência da luz do sol e com a praça vazia, chegava a ter um ar assombroso.

Aqui encontrámos a estátua de Nimeño II, um conhecido “matador” francês que nasceu na Alemanha. Estreou-se nesta cidade e ganhou mais peso no mundo da tauromaquia quando enfrentou a seis touros sozinho depois do português Vitor Mendes se ter lesionado logo no primeiro. Anos mais tarde, ferido gravemente na arena vai recuperando o movimento nas pernas e num braço para depois se suicidar.

Não visitei suficiente número de anfiteatros e arenas romanas para afirmar-lo com segurança mas a verdade é que este para mim foi o melhor que visitámos (sim, melhor que o próprio Coliseu), talvez tenha sido culpa do ensaio para o espectáculo que somou ao ambiente e permitiu que não tivéssemos que imaginar como era porque estávamos a assisti-lo. Em 2012, será no final de Abril outra vez, dois dias de Grand Jeux Romaines.

 

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s