Jardim do Palácio de Versalhes – França

O título deste post deveria ser Palácio de Versalhes, mas nós decidimos fazer uma “road trip” por França e não marcámos nada (mesmo nada, nem hotéis) com antecedência apenas visitámos o Jardim. Erro. Bom, também depende da perspectiva porque eu acho sempre que posso voltar e visitar o Palácio por dentro, mas na realidade tivémos que nos contentar com os jardins cuja entrada implicava uma espera de 20 minutos e não 2 horas.
Além disso também não é a melhor ideia chegar depois de almoço, o ideal é “acampar” á porta logo á primeira hora para evitar grandes filas.
Os jardins da música custam 7€ cada entrada e oferece-nos a possibilidade de contemplar todo o seu esplendor ao som de música clássica.
 
The title of this post should have been Versailles Palace, but since we were doing a road trip through France and we didn’t book anything in advance (not even the hotels) so that is why we only visited the garden. It was a mistake. Well, it’s also a matter of perspective because I think I can always comeback and visit the inside of the palace so we had to be happy with just the gardens to which the visit implicated a 20 minutes wait instead of 2 hours. 
Also it’s not a good idea going after lunch, the best thing is to “camp” in the first hours of the day to avoid queues.
The entrance fee for the music gardens are 7€ per each and it offers you the opportunity to contemplate all it’s glamour at the sound of classical music.

O Palácio começou a ser construído no século XVII e ao longo dos anos foi sendo ampliado até chegar á grande estrutura que tem hoje. Só o jardim é tem um tamanho impressionante (á volta de 800 hectares), de perder de vista até. 
Começámos a visita pelo Parterre d’Eau, que no mapa é a zona A. Descemos depois uma grande escadaria que nos leva até á Bassine de Latone, cuja fonte é inspirada na “Metamorphoses” de Ovidio e ao centro vemos Latona a proteger os seus filhos, Apollo e Diana.
Visitar estes jardins implica trazer um ou dois cartões de memória vazios porque está repleto de “oportunidades” fotográficas, é sem dúvida um dos mais belos que já vi e mais extensos também. Houve quem alugasse uns carrinhos de golf para poder explorar o jardim de maneira menos cansativa, a meio do percurso arrependemo-nos de não ter optado fazê-lo.
 
The construction of the palace started on the XVII century and throught the years it was being extend until it got to the great structure that you see today. The garden alone has an impressive size (around 800 hectares), something that you loose sight of.
We started our visit by the Parterre d’Eau, that in the map is area A. We came down a great staircase that lead us to the Bassine de Latone, which fountain is inpired by the “Metamorphoses” by Ovid (or Ovidius) and in the center you see Leto (or Latona) protecting her children: Apollo and Artemis (or Diana).
Visiting these gardens means you have to bring one or two empty memory cards because it is filled with photo opportunities, and it is without a doubt one of the most beautiful I ever saw, and also one of the biggest. There were people renting golf carts so they could explore the garden without getting tired, at the middle of our stroll we did regret not renting one ourselves.

 

>>> O mapa do jardim…enorme!

 

>>> Bassine de Latone

 

Ao lado da bilheteira está o “Jardin du Midi”, um jardim formal com pequenas árvores, arbustros e muitas flores. O acesso é feito por uma pequena escadaria ladeada por duas estátuas dos filhos da Esfinge.
Passeámos depois pelos vários Bosquets, são tantos que é dificil colocar aqui fotos e os nomes de todos, grande parte deles coroados por belíssimas fontes, estátuas de deuses, arcos de mármore, etc..
O seu formato de labirinto torna a experiência do passeio ainda mais interessante, o melhor é esquecer o mapa e deixar-se perder, descobrindo em cada um espaço diferente. E quando faz calor sabe muito bem andar por estes corredores.
 
Next to the ticket booth there’s the “Jardin du Midi”, a formal garden with small trees, schrubs and lots of flowers. You get in through a small starcaise flanked by two statues of the Sphinx children.
Then we strolled through the several Bosquets, there are so many that it’s hard to put all the photos and names, most of them are crowned with beautiful fountains, statues of the gods, marble arches, etc..
It’s maze format makes the experience even more interesting, it’s better to forget the map and get lost, discovering in each a different space.
And if it’s a hot day it’s very nice to walk through the maze.
 
 
 
>>> Fonte de Flora

 

Mas uma das fontes mais emblemáticas é a de Apolo que na sua quadriga aparenta estar a caminho do Palácio. Como muitas das que vimos nos jardim, não estava em funcionamento, não sabemos muito bem se para poupar água por questões ambientais ou por monetárias, ou ambas.
Pelos vários corredores do jardim vamos encontrando estátuas representando deuses, como por exemplo o Deus do Vinho, Baco. É também o deus dos excessos pelo o que está sitio certo…
 
One of the most charismatic fountains is the Apolo with it’s chariot, they look like they are headed to the palace. Like many that we saw in this garden, it wasn’t working, we are not quite sure why if it’s to save water for environment reasons or finantial, or both.
Through the gardens paths we see several statues representing gods, like Dionysus the god of wine.
 
 
 
Chegamos depois ao Gran Canal, onde muitos faziam fila para um passeio de barco romântico. Com tanta gente no canal, pareceu-me menos romântico do que deveria mas mais uma aventura aquática com vários momentos em que achávamos que alguns barcos iam colidir. 
Depois de tão longa caminhada, sentámo-nos no grande relvado que o rodeia e comemos um bom gelado. Apesar dos jardins estarem inundados de turistas, percebemos também que esta zona é muito utilizada pelos locais que se deitam na relva, lendo um livro ou fazendo um piquenique familiar.
Voltámos a subir desta vez pelo lado direito, vimos mais fontes, estátuas, jardins, labirintos.
 
Arrived at the Gran Canal where many were queuing for a romantic boat ride. With so many people in the canal it seemed less romantic than it should and more an aquatic adventure with moments where we thought some of the boats would collide.
After such a long walk we sat down on the large lawn that surrounds it and had ice cream. Although the gardens are flooded with tourists, we also realized that this area is heavily used by locals who lie on the grass, read a book or make family picnics.
We got up again but this time from the right side, we saw more fountains, statues, gardens and mazes.

 

Vimos também o Colonnade, composto por 32 colunas em mármore, que formavam uma arena com arcos e ao centro estava uma estátua que representava o momento em que Plutão rapta Proserpina, filha de Júpiter.
We also so the Colonnade, it’s made out of 32 marble columns together they formed an arena with the arches and in the center there was a statue representing the moment that Pluto abducts Proserpina, daughter of Jupiter.
Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s