eat: EL BODEGÓN – HUESCA, ESPANHA

Saímos do Formigal com uma grande vontade de comer um “chuletón” mas sempre que olhávamos para o preço desistimos mas como Huesca seria a última paragem acabámos por decidir que tínhamos mesmo que comer um e o El Bodegón era um dos sitios recomendados para o fazer.
Instalado numa antiga bodega, foi renovado mantendo o seu espirito e alguns dos seus característicos elementos arquitectónicos como os arcos.
 
We left Formigal with a craving for a chuletón but when we looked at the Price we gave up as Huesca would be the last stop we finally decided that we had to eat one and the El Bodegón was one of the recommended sites to do so.
Housed in a former bodega has been renovated retaining its spirit and some of its architectural features such as the arches.

Entrámos num restaurante com cozinha de autor e de repente começámos a sentir a culpa de pedir um “chuletón” ainda assim conseguimos chegar a um compromisso, pedir a carne e um outro prato que prometia algo diferente e escolhemos o risotto com azafrão e gambas.
Para começar uma tábua de queijos e enchidos da região, com uma excelente mostra do que se faz em Aragão. Depois veio o risotto que estava óptimo e foi a verdadeira estrela da refeição.
Veio depois o “chuletón” acompanhado por umas deliciosas batatas assadas com um molho que parecido ao “pesto” mas mais leve. Quanto á carne estava óptima, de boa qualidade, precisava talvez de mais uma pitada de sal para realçar o seu sabor.
No final temíamos uma conta mais pesada porque só o “chuletón” custava 36€ para duas pessoas, ficou por uns 35€ por pessoa (não vou contar o nosso filho apesar de ter comido arroz e carne) sem sobremesa mas com a entrada e sem o vinho.
 
Entered a restaurant with signature cuisine and suddenly started to feel the guilt of asking for a chuletón” we were able to reach a compromise, asking for the meat and another dish that promised something different so we chose the risotto with prawns and azafrão.
To start a board filled with cheese and sausages from the region a great showcase of what is done in Aragon. Then came the risotto which was terrific and it was the real star of the meal.
After came the chuletón accompanied by some delicious baked potatoes with a sauce that resembled the pesto but lighter. As for the meat was great, good quality, maybe needed another pinch of salt to enhance the flavor.
In the end we feared a heavier bill because only the chuletón cost 36 € for two people, it wasabout 35 per person (I don’t count with our son despite having eaten rice and meat) without dessert but with the starter and without wine.
 
 
 
Morada: Calle D. Pedro IV nº4
 
Other posts:
http://hojeconhecemos.blogspot.com.es/search/label/Huesca

do: CENTRO HISTÓRICO – HUESCA, ESPANHA

O caminho entre Formigal e Madrid passava por Huesca, no regresso da nossa curta semana na neve decidimos para na capital de Aragão para almoçar. Antes ainda tentámos conhecer o Castelo de Loarre mas o nevoeiro nesse dia era tão grande que nem conseguíamos vê-lo, uma pena porque é um dos melhor preservados da Europa e foi cenário do filme do Ridley Scott, “Kingdom of Heaven”. Chegámos ao centro da cidade e comemos no El Bodegón que fica muito perto do centro histórico.
 
The road between Madrid and  Formigal went through Huesca, returning from our short week in the snow we decided to go to the capital of Aragon for lunch. Before we did try to visit the Castle of Loarre but the fog that day was so thick that we could not even see it, a shame because it is one of the best preserved in Europe and was the setting of the Ridley Scott’s filme “Kingdom of Heaven“. We reached the city center and ate at El Bodegón which is very close to the historical center.

 
Começámos o nosso passeio por Huesca pela Praça da Catedral, o nome explica tudo e é talvez a mais importante da cidade porque para além da sua Catedral de construção gótica está também o edificio do Ayuntamiento e o Museu Diocesano. Durante todo o percurso quisémos visitar alguns monumentos mas estavam todos fechados, algo incrível e talvez o motivo pelo o qual não encontrámos ninguém na rua. Fomos no Sábado o que me parece ainda mais estranho suponho que no Verão já não seja assim.
Pudémos contemplar a catedral desde o exterior com o seu elaborado pórtico que conta com esculturas dos apóstolos. Ainda na mesma praça está a a Fonte da Morena.
 
We started our tour of the Huesca Cathedral Square, the name explains everything and is perhaps the most important in the city because in addition to its Cathedral of Gothic construction there is also the building of the Ayuntamiento (Town Hall) and the Diocesan Museum. Throughout the course we wanted to visit some monuments but they were all closed, something amazing and maybe the reason which we have not found anyone on the street. We went on Saturday which seems even stranger but I suppose summer this does not happen.
We were able to admire the cathedral from the outside with its elaborate porch that has sculptures of the apostles. Also in this square is the Fountain of Morena.
 
 
 
 
Descemos a Calle de las Cortes até chegar á Plaza de Luís López Alluè. Os cafés nas arcadas dos edificios que rodeiam a praça e os divertimentos fechados faziam antever que é mais animada do que o que estávamos a ver, não sei se foi a hora ou o dia mas com excepção de um ou outro restaurante estava tudo fechado.
Seguimos depois em direção ao Mosteiro de S. Pedro el Viejo, também ele estava fechado e ficam por ver os sepulcros de dois importantes reis de Aragão, Alfonso I e Ramiro II, este último conhecido como o Monge foi o responsável de um conhecido e sangrento episódio da cidade em que mandou decapitar doze nobres.
 
We walked down the Calle de las Cortes and arrived to Plaza Luis López Alluè. The cafes in the arches of the buildings surrounding the square and enclosed amusements did anticipate that it is more lively than what we were seeing, I do not know if it was the hour or the day but with the exception of one or another restaurant everything was closed.
Then we went towards the Monastery of S. Pedro el Viejoit was also closed and we didn’t get to see the tombs of two important kings of Aragon, AlfonsoI and Ramiro II, the latter known as the Monk was responsible for a known and bloody episode of this city in which twelve nobleman were beheaded.
 

Entrámos depois no bairro Mozárabe, onde pelas suas ruas mais estreita encontrámos pequenos edificios coloridos ou decorados com graffitis que anunciavam bares. Esta será a zona de maior animação nocturna da cidade. Ficou por explicar o curioso graffiti que encontrámos dedicado ao chicharro.
Durante o nosso passeio fomos encontrando no chão as conchas que indicam o caminho para Santiago faz parte da Ruta Jacobea vinda da Catalunha.
Ficou a curiosidade de conhecer mais sobre Huesca, talvez numa próxima viagem ao Formigal.
 
Then we went into the Mozárabe neighborhood where by it’s narrower streets we found small colored or decorated buildings with graffiti announcing bars. This will be the biggest nightlife area of the city. I couldn’t explain the curious graffiti we found dedicated to the mackerel (“Chicharro”).
During our tour we were finding shells on the ground that indicate the path to Santiago it is part of the Ruta Jacobe from Catalonia.
We were curious to know more about Huesca, maybe on a forthcoming trip to Formigal.
 

Other posts:
http://hojeconhecemos.blogspot.com.es/search/label/Huesca